segunda-feira, 1 de junho de 2009

BANDEIRA DESAMADA




Hoje era um dia que eu estava a fim de jogar conversa fora, ai a escritora Marília Paixão me sugere um tema sério: “Bandeira Desamada”.

Então, pensei... Desamada por mim, por você, pela torcida do Flamengo?


Não, com certeza que não. Sim, pelos homens públicos, pelos que nos governam que respeito nenhum demonstram pelo nosso país: acredito que a nossa Bandeira represente para essa gente apenas um pedaço de pano sem simbologia alguma.


Às, favas pendores patrióticos, o que essa gente quer da pátria amada, idolatrada, salve, salve é apenas se locupletar.Dito isto, parei pra pensar, no nosso país, no seu símbolo maior, a nossa Bandeira... Amada ou desamada...?


Pensei tanto que o sono me pegou e dormi. Dormi e sonhei. Sonhei que era candidata à presidente da República. Por sugestão de Duda Mendonça, para dar maior credibilidade à minha candidatura, seria de bom alvitre apresentar-me como evangélica.


E lá fui eu pra dentro da telinha com cara de , com todo respeito , bispo Trivela. Não por falta de advertência do Duda, (por conta de uma gagueira que me persegue) mas confiando nas aulas tomadas com uma fonoaudióloga, resolvi iniciar o meu discurso cívico, cumprimentando os te-les-pec-ta-do-res.


Para desespero meu não consegui pronunciar corretamente o tal vocábulo. Depois da terceira tentativa desisti, mas não perdi a fleuma. Disse pra mim mesma: calma Zélia, isto é apenas um programa de propaganda eleitoral, a maioria dos aparelhos de TV estão desligados, sinta-se à vontade para falar e nada dizer.


Fiada nisso repeti como se fosse só para mim, coisas já ditas, prometidas e não cumpridas E mandei ver as metas do governo dos outros e falei que nem eles


SOBRE... AGRICULTURA: que tem um papel duplamente estratégico: é nele que se inicia a principal cadeia de produção de bens de consumo de massa. E é também nele que se pode criar emprego mais rapidamente e com menos custo de investimento para cada novo trabalho.


EDUCAÇÃO: requisito tanto para o pleno exercício da cidadania como para o desempenho de atividades cotidianas, para a inserção no mercado de trabalho e para o desenvolvimento essencial para tornar a sociedade mais justa, solidária e integrada.


EMPREGO: QUE NO Brasil atinge proporções extremamente graves e peculiares. Estima-se um número elevado de trabalhadores desempregados.


SAUDE: cuja crise é inegável. Sua fase viável – hospitais sucateados, profissionais em greve, pacientes jogados em macas nos corredores, falta de material e medicamentos – esconde a falência de um modelo voltado predominantemente para a cura e o tratamento de doença. Isso leva à crença de que a crise é devida, apenas às deficiências no atendimento médico-hospitalar.


HABITAÇÃO: onde existem, nas áreas urbana e rural do País, milhões de habitações precárias, com inadequada estrutura física, falta de serviços essenciais de pessoas por cômodo. São milhões de pessoas morando mal”.


Ai acordei. Por sobre o colo um livro aberto contendo propostas de governo, que repeti feito um papagaio .


O sonho foi por conta dessa mania que tenho de ler e reler as promessas de campanha não cumpridas dessas excelências que costumamos fazê-los nossos governantes, só pra ter raiva.

Um comentário:

Chica disse...

Quanto mais lemos ou procuramnos lembrar das PROMESSAS feitas, mais ficamos indignados...Linda tua crônica, mais uma vez e se te candidatasses, pelo menos, teríamos alguém honesto em quem votar!beijos,chica