sexta-feira, 19 de junho de 2009

BEM QUE TENTEI, MAS SÓ ENROLEI




Tá certo que eu não me tornei no que eu queria ser quando mocinha e eu queria ser que nem a Polyana, jogando o jogo do contente o tempo todo.


Tudo bem não aconteceu, mas também uma contenteza vez por outra não faz mal à ninguém. Hoje por exemplo é um dia que eu levantei com o pé direito; lá fora céu azul, sol brilhante, no rádio Fred Mercury & M. Caballé cantam How Can I GO On... How can I forget / Those beautifil dreams that we shored / They lost and nowhere to be found (...)


Ai eu pensei: realmente eu não posso esquecer aqueles lindos sonhos que dividimos... E por não poder perdê-los é que tenho que correr atrás.


Mas como ia dizendo estou feliz só não mando flores para o delegado por que alguém já mandou e nem vou beijar o português da padaria por que também o beijo já foi dado, só me resta ir pro mar mandar mensagem numa garrafa.


Não, garrafa no mar não, não chega lá, melhor um pombo-correio .


Puxa, brinque não, como é difícil fazer uma crônica descontraída, alegre; desde hoje que estou tentando e só enrolo.


Vai ficar assim mesmo. Mas insisto em dizer, estou feliz, estou contente.


Peraí... será que eu não estou... e só estou tentando me convencer disto?


E eu que pensei que estava “curada”.


Cadê o meu analista? O quero de volta!

Um comentário:

Chica disse...

Lindo e é isso mesmo.Fica assim mesmo que tá de bom tamanho.Es feliz e tudo bem. beijos,chica