segunda-feira, 3 de novembro de 2008

ZÉLIA, UM SER METAFÍSICO




Ah, se me fosse possível reduzi toda a existência do meu pensamento

e de forma subliminar deixasse de atuar em mim estímulos suficientes para que eu não tomasse consciência do concreto que me exaspera, dando lugar ao abstrato onde a representação figurativa não transcende as aparências exteriores da realidade Quero fugir dessa realidade।

Quero fugir de mim mesma।

Porque já não sei mais quem sou;

se sou real,

se existo

Transcendo

E me torno dificil de compreender

e sem ser filosoficamente profunda, cabe-me tão somente a adjetivação

de um

ser METAFÍSICO


Um comentário:

Evelyne Furtado disse...

A realidade por vezes nos cobra muito e dá vontade de fugir, realmente. Em poucas linhas você, Zélia, disse muito se decidindo por apenas SER e PENSAR, nos brindando com as suas perguntas e respostas em textos primorosos como o que acabei de ler em seu blog lindo!
Um beijo enorme, minha amiga sábia.