segunda-feira, 17 de novembro de 2008

TUDO PELA NOSSA EQUIPE ECONÔMICA



Ai quantos sobressaltos! Os Estados Unidos espirram lá, estremece aqui. Não agüento mais servir de escora para os pés de barro desse sistema financeiro globalizado.

Em busca de uma luz, se eu acreditasse em pitonisas, diante de ameaças tais, conseqüência da problemática do sobe e desce das Bolsas, eu por amor ao meu país ,correria em busca da solucionática através de uma consultoria junto a um oráculo. Pelo prestígio e credibilidade que nós brasileiros desfrutamos mundo a fora, quem sabe não teria acesso fácil a qualquer um desses oráculos famosos: Apolo em Delfos; Amon na Líbia; Diana em Colchis; Esculápio em Roma; Hércules em Atenas e Vênus em Pafos. Naturalmente, para ser atendida, contaria também, com o prestigio do nosso iluminado e diplomático presidente Lula, cuja fama de grande negociador e estadista já é reconhecida além da Cochinchina.

Acontece, que a minha fé em pitonisas e sibilas é pouca, principalmente quando se sabe o quanto de esperteza, de ambigüidade essas adivinhas escondem. Têm sempre uma resposta forjada para qualquer que seja o resultado. Tenho até um exemplo para citar:

É sabido que antigamente os imperadores, capitães e guerreiros, antes de qualquer cometimento, costumavam consultar os oráculos, as pitonisas e as sibilas sobre o resultado que iriam conseguir e sobre a vontade dos deuses.


Certa vez Alexandre Magno, antes de partir para uma batalha consultou um sibila, que depois da encenação costumeira, disse: “ IRÁS, VOLTARÁS, NUNCA MORRERÁS NAS ARMAS”. Alexandre partiu e voltou vitorioso. Se tivesse morrido, a sibila teria dado às suas palavras a seguinte interpretação apenas com mudança de pontuação: “ IRÁS, VOLTARÁS NUNCA; MORRERÁS NAS ARMAS”.

Encerraria - para o bem de todos e felicidade geral da Nação - com uma conclamação à classe média no sentido de formar uma guarda pretoriana e tomar o rumo de Brasília com a finalidade de servir de escudo pra nossa equipe econômica, protegendo-a contra os espirros do mundo. E, que o nosso grito de guerra seja: “ Com o nosso sangue e nossas almas nós defenderemos HENRIQUE MEIRELLES, GUIDO MANTEGA E PAULO BERNARDO.

EM TEMPO: Quando da marcha, que não seja esquecida a foto do “divino” nem os colchonetes e, se possível, umas garrafinhas de 51 para animar a tropa.

Um comentário:

chica disse...

Mais um lindo texto com a marca da tua inteligência e perspicácia! um beijo,chica