segunda-feira, 24 de novembro de 2008

DA NECESSIDADE DE ESQUECER



ESQUECER, ESQUECER, ESQUECER, ESQUECER, ESQUECER!
Tem dias que a gente acorda com uma vontade danada de conjugar o verbo ESQUECER em todos os seus tempos e modos; acho que até por necessidade de sobrevivência, pois dizem os entendidos que para continuar vivendo é fundamental esquecer. Os especialistas que estudam e pesquisam o mecanismo da memória concluíram que a vida seria insuportável se nos lembrássemos de tudo que acontece.

Isto posto, se o tempo cobra a necessidade de esquecer fatos ou pessoas, encare, diga adeus - que foi feito pra se dizer - e siga em frente. Afinal, existe tempo pra tudo. " Há tempo de nascer e tempo de morrer. Tempo para destruir e para edificar. Tempo para rir e tempo para chorar. Tempo para juntar as pedras e tempo para jogá-las". (Mário M. Porto)

E, salvo engano, o meu tempo é de jogar pedras, contudo, jogar não garanto, mas chutar é comigo mesma.
Sim, mais um acréscimo: para os que acreditam em Deus, a Ele devem agradecer, tem quem diga que esquecer é uma graça divina. E para os que não acreditam, agradeçam aos seus neurônios.

2 comentários:

chica disse...

Temos dias que apenas queremos esquecer o que passou. Não suportamos as lembranças. Depois, atiramos umas "pedrinhas", passa o tempo e vamos conseguindo recordar o mesmo, com docura, apenas saudade! um beijo,chica

Anônimo disse...

group dominated tailored protease panelists alifont truthfully reproduced excavation promised irelands
semelokertes marchimundui