segunda-feira, 24 de novembro de 2008

QUE FIM MELANCÓLICO...


Que fim melancólico

Para o que se presumia

Ser um grande amor

Nem os meus braços

Encontram forças

Para entender-se

Perde-se no vazio

Parte de um corpo

Cansado

Da minha boca

Já não se ouve um

Por favor me entenda

Fica comigo

Eu só queria compreender

O por quê deste quase inferno quando não mereço


E cá estou

Tão triste

Tão sozinha

Só com as minhas lembranças

E o que restou dela

Doi tanto...

Porque se resume numa

Cabeça sobre um

Colo que não era o meu...

Um comentário:

chica disse...

Lindo e triste poema,Zelia! Adoro esses teus poemas! um beijo,chica