quarta-feira, 1 de julho de 2009

ENTENDEU? NEM EU! MAS PENSEMOS SOBRE...




De autor desconhecido: “ Ou você aceita a vida ou é infeliz. É uma questão de opção”.


Aceitei a vida e os conselhos do Dr. Maxwell Malt e venho procurando fazer uma nostalgia do futuro em vez de uma nostalgia do passado.Pensando bem o homem necessita de pouco para viver, o que precisa mesmo é de compreensão para aceitar por que vive, trabalha e sofre.


Há quem afirme que é necessário sonhar, ou melhor, saber sonhar. “Sonhar os grandes sonhos do mundo das excelsas realidades ainda não realizadas, porém, realizáveis pelos audaciosos aventureiros do Infinito”Entendeu? Nem eu!


Mas tem mais: você que se preocupa com a sua longevidade e a sua criatividade anda em baixa trate de olhar pra frente em busca de um objetivo, e lembre-se: o homem de espírito criador precisa de mais Força de Vida.


E os registros de óbitos parecem confirmar que eles a obtém. Como grupo os indivíduos criadores não apenas vivem maior número de anos, mas conservam sua produtividade mais tempo que os demais.


Exemplos: Michelangelo pintou alguns de seus melhores quadros depois dos 80 anos; Goethe escreveu “Fausto” também depois dos 80; Edison ainda produzia inventos aos 90; Picasso, com mais de 80 anos dominava, o mundo da arte; Wright aos 90 era considerado o arquiteto de maior capacidade criadora; Bernard Shaw ainda escrevia peças de teatro aos 90 anos; Grandma Moses começou a pintar aos 79 anos , e por ai vai.E para encerrar, palavras de Martin Claret:


Seja Profeta de Si mesmo : “A função derradeira das profecias não é a de predizer o futuro, mas a de construí-lo”.


PS: Pois é, também dou uma espiadinha em livros de auto-ajuda. Foi o que fiz, lendo a Essência da Vida ( A essência da sabedoria dos grandes gênios de todos os tempos) de Martin Claret., meu parceiro nesta crônica .

3 comentários:

Chica disse...

E vamos tentando construir nosso futuro a partir de um presente o mais legal possível.Linda crônica!beijos,chica

Paulo de Poty disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Paulo de Poty disse...

"Nostalgia do futuro". Sabe depois que li isso fiquei pensando se não sofro disto também. Às vezes me dá um remorso de não viver o suficiente e perder alguma coisa que está por vir, que imagino ser muito boa, um futuro mais igualitário, mais justo e digno para essa humanidade ai. Beleza de crônica Zélia, tu é fera.