quarta-feira, 22 de julho de 2009

AMANHÃ É OUTRO DIA





Relendo Cândido ou o Otimista de Voltaire e repetindo Cândido: “ mais o que é preciso é cultivar o nosso jardim”.

Pourquoi monsiuer Cândido? Acredita que os homens corromperam a natureza, porque, não tendo nascidos lobos, transformaram-se em lobos. E mesmo Deus não lhes dando nem canhões nem baionetas, no entanto, eles construíram para se destruírem?

Oh, monsiuer Cândido! “Tout est pour le mieux dans Le meilleur dês mondes possibles” ( É tudo para o melhor no melhor dos mundos possíveis).

Que afirma é o Dr. Pangloss.

Voltaire é o homem que não concordava com os escritos de Jean-Jaques Rousseau, mas quando as autoridades suíças queimaram, de sua autoria, Discurso Sobre a Origem da Desigualdade, ele disse para Rousseau: “Não concordo com uma só palavra do que dizeis, mas defenderei até a morte o vosso direito de dizê-lo”.

Sobre Cândido ou o Otimista, Voltaire escreveu no ano de 1759, seria uma resposta dele ao mundo e à loucura que o governava. Ele não acreditava nem nesse mundo nem no próprio homem, então desfila seu pessimismo. O incrível disso tudo é que parece que nada mudou, o mundo e os homens continuam os mesmos. É a tal história: tudo como antes no quartel de Abrantes

E aqui cabe citar Diderot “Le temps présent, grand Dieu! C’est l’arche Du Seigneur à qui y touche” ( O tempo presente grande Deus! É a arca do Senhor, desgraçado de quem o toca.)

Ps: confesso que não dormi com Schopenhauer nem tampouco com Voltaire, mas bateu um pessimismo de fazer dó, até eu estou com pena de mim mesma e repetindo feito mantra: mas que bobagem! Como se amanhã não fosse outro dia, né não Scarlett O’Hara ?

Um comentário:

Chica disse...

Porque sempre há um outro dia, podemos suportar tudo...Lindo,Zelia! beijos,chica