terça-feira, 14 de julho de 2009

O QUE MINHA ALMA PEDE




Gosto de escrever o que a minha alma pede e a minha alma pede neste momento versos de Jobim ...Se um dia eu fosse tão forte quanto você / eu te desprezaria e viveria no espaço . / Ou talvez então eu te amasse. / Ai! Que saudades me dá da vida que nunca tive!

E por falar em vida tem uma frase do crítico de arte Bernard Berenson, que diz: “Uma vida completa talvez seja aquela que termina em tal identificação com o não-eu que não resta um eu para morrer”.

E pra você minha amiga que me disse ontem que gostaria de conhecer o amor o tanto quanto eu conheço, te digo agora: não é nenhum segredo: o amor, caríssima, é que nem o Jobim ensinou:


" É se dar, se dar, se dar. Dar-se não de acordo com o seu eu, mas de acordo com o eu do ente amado. Quem não se dá, a si próprio detesta, e a si próprio se castra.


Amor sozinho é besteira.


Nada profundo, não é? Mas funciona, tente.

Um comentário:

Chica disse...

Amor sozinho não adianta nada! E se não nos amamos, dificilmente amaremos alguém.beijos,tudo de bom,chica