quarta-feira, 22 de abril de 2009

QUANDO AS APARÊNCIAS ENGANAM




“Vóis sois deuses”.(Jesus Cristo)


Quem de nós já não foi traído pelas aparências? Acho que todos nós... Andei pela “terra de ninguém” em busca de subsídio para escrever esta crônica. Encontrei aos montes, alguns exemplos:PRIMEIRA APARÊNCIA ENGANOSA.


Foi o caso de Susan Boyle, que semana passada emocionou o mundo quando apresentou-se no show do Britains’s Got Talent , na Inglaterra. A candidata de 47 anos, dona de casa, desempregada e longe dos padrões de beleza exigidos hoje em dia foi recebida no palco pelos jurados e pelo auditório com risos, haja vista possuir as características perfeitas daqueles tipos que as pessoas gostam de rir e sacanear.

Acontece que a Susan é dona de uma voz mágica e quando começou a cantar “I Dreamed a Dream” (Les Miserables), deixou todo mundo pasmo, dos jurados ao auditório e no final foi aplaudida de pé.SEGUNDA APARÊNCIA ENGANOSA.


Aconteceu num orfanato, uma criança sem encantos, de maneiras desagradáveis, evitadas pelas outras, inclusive pelos professores e que vivia lá sem carinho, sem afeto, sem esperança, sua única companheira era a solidão. O Diretor do orfanato aguardava ansioso por uma desculpa para livrar-se dela. Um dia aconteceu uma. A companheira de quarto da menina informou que ela estava mantendo correspondência com alguém de fora do orfanato, o que era proibido e disse que ela acabara de esconder um papel numa árvore. E lá se foi o Diretor e o seu assistente tirar essa historia a limpo.


De fato encontraram a tal mensagem e nela , para desapontamento e remorso do Diretor estava escrito num pedaço de papel amassado o seguinte: “ A qualquer pessoa que encontrar este papel; eu gosto de você”. A conclusão que chegou o senhor Diretor é que a menina era menos má do que ele próprio.Pois é, costumamos julgar as pessoas pelas aparências, embora saibamos que estas são enganadoras. “O que é pior, se essas aparências não nos agradam, marcamos a pessoa e nos prevenimos contra toda e qualquer atitude, mesmo que essas sejam julgadas tão somente pelas aparências.


Tem uma oração antiga dos índios Sioux, que pede a Deus auxílio para nunca julgar o próximo antes de ter andado sete dias com as suas sandálias. Isto é explicado como querendo dizer que, antes de criticar, julgar e condenar uma pessoa, devemos nos colocar no seu lugar e entender os seus sentimentos mais profundos.


Aqueles que talvez ela queira esconder de si mesma, para proteger-se dos sofrimentos que a sua lembrança lhe causaria.


O final fica com Elias Regina que deixou pra nós “As Aparências Enganam” da autoria de Sérgio Natureza/Tunai : “As aparências enganam/ Aos que odeiam e amam / porque o amor e o ódio se irmanam na fogueira das paixões / os corações pegam fogo e depois não há nada que os apague .....

2 comentários:

Chica disse...

Um texto pra aplaudir de pé,Zelia! Maravilhoso!um beijo e tudo de bom,chica

Yasmine Lemos disse...

E quando a essência humana nos engana? As aparências deixamos de lado e afim de alcançar a nobreza de alma,erramos também,enquanto se via luz,existia escuridão.Tudo é válido para apredizagem.Adorei a crônica e que sirva para todos os seus leitores.
beijo grande