segunda-feira, 2 de julho de 2007

CAMINHO PERIGOSO







Ou muito me engano, a gente está entrando por um caminho perigoso. Já estamos desconhecendo a tão conhecida e peremptória máxima: “decisão da Justiça não se discute, CUMPRE-SE”. Pelo que se proclama, nos botequins, borracharias, barbearias, academias de ginástica e bordéis não se fala noutra coisa que não seja a retirada da venda dos olhos da Justiça


Seguindo este raciocínio, espero que o próximo passo não seja o NÃO CUMPRIR, pois se assim for, que se instale a ANARQUIA.


E pensar que tudo começou por medo do povo brasileiro parecer preconceituoso, rejeitando para seu presidente um nordestino, filho de mãe que nasceu analfabeta, de pouco estudo e consequentemente pouco discernimento. Afinal, era APENAS a direção da Nação que seria entregue a um torneiro-mecânico, na esperança de, sendo ele um de nós, tornear o destino da Pátria - nem tanto amada, nem tanto idolatrada, gritando apenas pelo salve, salve! – Mas qual o quê, o torno quebrou, o parafuso entortou. Pensando bem... Não foi só um dedo que a máquina engoliu, engoliu a nós todos.

Fazer o quê... Eu só não queria era perder a esperança, mas pelo jeito o torno triturou. Que apareça o senhor bispo para eu me queixar.



Um comentário:

yasmine disse...

não.não existe mas o analfabeto,aquele que não sabe de nada.
acabou.o analfabeto era puro,ainda não havia corrompido.