quinta-feira, 24 de setembro de 2009

ONTEM FOI OUTRO DIA.HOJE RESOLVI DESERTAR NO MUNDO




A crônica de Rosa Pena sob o título “ Que onda...Que cara...Que bunda!” publicada ontem aqui neste Recanto contém tantas verdades, que eu resolvi desertar deste mundo, vasto mundo,além do mais não quero esperar pelo ano de 2020, para morrer de depressão, já que fui por Deus abandonada, que nem o Drummond, que reclama lá no seu poema quando diz:


“ Meu Deus por que me abandonaste / Se sabias que eu não era Deus / Se sabias que eu era um fraco”. Coisas do Drummond.


Mas eu estou partindo em busca de Lao-Tsé, que já morreu faz tempo, lá entre 604/517 a.C,- mas que não faz diferença vivo ou morto, creio nele - a quem se atribui a fundação de um movimento filosófico que se transformou em religião: o tauismo.


Por ai eu vou correr atrás da “paz absoluta”, pela completa submissão à natureza, cujos valores são a pureza, calma, simplicidade e unidade.


A soberana indiferença é a atitude que caracteriza o sábio tauista, que ensina a “não-ação” (wuwei).


Guerras, governos, convenções e cerimônias são igualmente tidos como destrutivos por não serem fatos “naturais”. (assim, é uma peninha, mas nem vou votar na verde Marina, já que a “minha religião” não permite)


E como não brinco em serviço, cá estou devorando o Livro do Tau, já me sentindo revestida de uma soberana indiferença e já instruída para a não- ação .


Desta forma, tanto faz como tanto fez, pouco me importo que o Sarney deite e role no Senado, que Lula continue a anta do Mainardi e mesmo assim eleja Dilma; que Collor ou Renan saiam de vice; que o bispo Macedo compre mais um jato para concorrer com o filho do dr. Roberto, que o BBB volte sob o comando de Bial; que Faustão continue reinando aos domingos; que Gugu sirva ao bispo; que Vanuza desconheça a letra do Hino nacional; que a Sacha escreva cena de teatro com “s” por ter sido alfabetizada na língua que o meu cavalo não fala: inglês.


E, finalmente,tô nem mais ai para quem eu quero e não me quer e para quem me quer mandei embora.

PS:Uma explicação: existe controvérsia sobre se existiu ou não o tal do Lao-Tsé. Se existiu foi contemporâneo de Buda.


E por falar em Buda, você sabia que o Cardeal Barônio, (1538/1607) por engano, o introduziu na higiografia cristã como São Josapth, celebrado a 27 de novembro.


Assim, você cristão, se fizer alguma promessa a São Josapth está fazendo a Buda, viu?

Um comentário:

Chica disse...

O bom mesmo é estar nem aí pra tudo isso, nos deixar atingir minimamente com nosso cantinho de paz, que pode ser abastecido com sorrisos e até brincadeiras. O resto,vamos levando...beijos,tudo de bom,chica